Minha história fora da aviação

Acabei decidindo abandonar a aviação e consegui uns trabalhos na área de marketing, com o que eu tinha aprendido.

Aos poucos, fui colocando aquela teoria em prática, e tive resultados até bem razoáveis.

Só que aquilo não me deixava totalmente realizado.

Faltava algo.

Mas eu continuava firme na minha decisão.

O chato era quando eu encontrava alguém que não via há muito tempo.

“E aí, tá voando?”

“Não, decidi sair da aviação, to trabalhando como consultor de marketing.”

“Nossa, é mesmo?! Por quê?! Você era tão doido com avião…”

“Ah, porque a rotina ……, e a crise ……, hoje to em outro momento ……”

“Ah… Entendi.”

Tive essa conversa muitas vezes, e sempre me incomodava um pouco.

Mas o assunto mudava e tudo bem.

O problema é que aqueles trabalhos de marketing estavam cada vez mais chatos.

Eu já não tinha a mesma paciência pra ficar elaborando site e campanhas.

Estava ficando claro que eu não ia dar conta de fazer aquilo pro resto da vida.

E agora?

O que eu vou fazer?

Mas eu lutava contra.

“Não quero mais voar”, “essa rotina não é pra mim mesmo”, “já passei dessa fase”, …

Essas eram as justificativas que eu usava pra explicar pros outros (e pra mim mesmo) porque estava fora da aviação depois de ter investido tanto tempo e esforço.

Era o meu discuso oficial.

Só que, no fundo, eu sabia que isso não era verdade.

Eu queria voltar, mas estava com medo de dar errado de novo.

Isso eu não podia acontecer jamais.

E também era mais fácil continuar do jeito que estava, até porque eu estava ganhando bem e com perspectiva de crescimento…

Mas, é como dizem: depois que você é picado pelo aerococus, já era.

Não tem volta.

Eu tentei por mais de 2 anos achar outra área profissional que me deixasse feliz.

Não consegui.

Até que, em