Vocabulário, Pronúncia e Estrutura (Parte 1/7)

Este é o 1º e-mail do curso “Como Aplicar a Estratégia na Preparação para a Prova da ICAO e Processos Seletivos”. Se você gostar, pode ler a sequência completa aqui.

Hoje é o 1º dia do nosso curso!

Você está animado?

Se não, vou te dar o mesmo conselho que dava aos meus alunos quando eles meio dormindo antes de começar a aula: faça uns polichinelos.

Não há nada que polichinelos não resolvam rs.

Apesar da brincadeira, há um ponto bastante sério: a atenção e o nível de alerta têm uma enorme influência sobre o aprendizado.

Então, faça os polichinelos ou saia correndo pela casa afora, qualquer movimento serve.

Agora que você está aquecido e focado, vamos seguir.

Vou começar pelo ICAO porque, hoje em dia, não adianta pensar em processo seletivo sem ICAO 4/5/6.

Mas fique tranquilo que, até o final do curso, vamos abordar tudo.


Quando eu faiei em “estrutura imutável por trás da prova da ICAO”, não estava me referindo à divisão em 4 partes (Perguntas, Interação com o ATC, Áudios de Emergência e Descrição da Figura).

A estrutura imutável é o conjunto dos conteúdos que caem em todas as provas, repetidamente.

No PP, essa lista é mais ou menos assim:

  • Regulamentos
    • Regras do Ar;
    • Espaços Aéreos;
    • Serviços de Tráfego Aéreo;
  • Navegação
    • Fusos Horários;
    • Mapas e Cartas;
    • Proas e Rumos;

E por aí vai.

Mas e no caso do ICAO? Quais matérias e conteúdos caem em todas as provas?

Vamos pensar.

Em toda prova da ICAO, a gente precisa saber a conjugação de alguns verbos… Conhecer o significado das palavras mais usadas… Como pronunciá-las do jeito certo… E entender o que o examinador está falando.

Além disso, cada um desses conteúdos pode ser enquadrado em um dos 6 critérios da prova.

Conjugação de verbos entra em estrutura. Significado das palavras, em vocabulário. Pronúncia, em pronúncia (uau!). E entender o que o examinador está falando, em compreensão.

No final das contas, os 6 critérios são como as matérias da prova.

Visualmente, ficaria assim:

  • Vocabulário
    • Conteúdo 1;
    • Conteúdo 2;
    • ..
  • Pronúncia
    • Conteúdo 11;
    • Conteúdo 12;

E por aí vai.

Então, para obter a estrutura por trás da prova, resta apenas descobrir quais são esses conteúdos.

É o que veremos agora.

Obs.: Quero pedir desculpas se, às vezes, eu não dou a explicação mais bonita do ponto de vista linguístico. Quando isso acontecer, foi porque precisei sacrificar a boniteza em prol da clareza.

Falar complicado demais e usar termos técnicos sem necessidade é uma das coisas que mantém a aura de mistério ao redor da prova.

Ao final, você vai ver que a prova da ICAO é extremamente lógica (e nada abstrata).


Vocabulário

O vocabulário é o conhecimento do(s) significado(s) de uma palavra.

Quanto mais palavras e significados você conhece, maior é o seu vocabulário.

Durante a prova, isso é avaliado de 2 maneiras:

  1. Quantas vezes você usou palavras que caíram como uma luva naquele contexto (significa que você tem um vocabulário grande); e
  2. Quantas vezes você usou palavras que soaram esquisito naquele contexto (significa que você tem um vocabulário pequeno).

A chave é maximizar o 1 e minimizar o 2.

Agora… E se você esquecer completamente uma palavra?

É o apocalipse? Está fadado ao ICAO -17?

Não, rs.

Até um ICAO 6 pode não saber algumas palavras. A grande diferença está no que acontece depois:

  1. Você substitui a palavra por outra (também chamado de paráfrase); ou
  2. Você passa por cima e finge que nada aconteceu.

Na primeira opção, você fica com um ICAO 4, 5 ou 6. Na segunda, é de 3 pra baixo.

Esse tipo de erro é punido severamente por um motivo: na aviação, não existe ignorar e passar por cima.

Uma frase pode ser literalmente a diferença entre a vida e a morte.

Durante um voo, nós precisamos garantir que o controlador entendeu o que nós falamos, e que nós entendemos o que ele falou.

Na prova, com o examinador, é a mesma coisa.

Então, sempre substitua uma palavra que você esquecer, e peça esclarecimento quando você não entender alguma coisa (mais sobre isso em Interação).

Outro cuidado que você precisa ter é com os tipos de vocabulário. Existem dois: o aeronáutico e o comum.

O aeronáutico envolve palavras específicas como wing, runway, spoiler, aileron, throttle,…

E o comum são as palavras do dia a dia, como na imagem ali de cima (baby, car, dog,…).

Qual dos dois é o mais importante?

Por incrível que pareça, é o comum.

Primeiro, porque o vocabulário comum contém mais palavras do que o aeronáutico.

Segundo, porque várias palavras do vocabulário comum têm mais de um significado. Main landing gear, por exemplo, significa apenas trem de pouso principal.

Já a palavra break pode significar quebrar (e.g. break the glasses), desobedecer (e.g. break the law), fazer uma pausa (e.g. take a break), fora expressões como lucky breakbreak a legbreak evenbreak free,…

E terceiro, porque a prova é desenhada especificamente para nos colocar diante de situações inesperadas e testar a nossa reação.

Se a situação é inesperada, os termos aeronáuticos sozinhos não bastam. A gente precisa de mais palavras para se fazer entender.

Tente explicar qual é a emergência, resolver um mal-entendido e/ou dizer o que você precisa usando apenas engine fail land emergency brakes runway.

Não dá muito certo né? Rs

Nessas horas, o vocabulário comum é essencial.

Não estou falando pra você ignorar o vocabulário aeronáutico. Ele é importante, claro.

Mas entre aprender que o bordo de fuga da asa chama-se trailing edge, ou aprender os significados da palavra break

Fique com a 2ª opção.

Para finalizar, algumas dicas práticas.

Aqui e aqui têm algumas listas com as palavras mais usadas no inglês, pra você ter uma ideia de como anda o seu vocabulário comum.

Para aprender algumas palavras novas aos poucos, eu recomendo o app Duolingo.

Para o vocabulário aeronáutico, o site Skybrary é muito bom, assim como os manuais da FAA (principalmente o Pilot’s Handbook of Aeronautical Knowledge e o Pilot/Controller Glossary)…

E há também os livros focados na prova, como Air SpeakAviation EnglishFlightpath e Cleared for Takeoff (compre só se quiser, nenhum deles é obrigatório).

Apenas um conselho: eu não me preocuparia tanto em ler os manuais inteiros e ficar horas anotando as palavras novas em um caderninho.

Como eu disse, você pode esquecer ou desconhecer alguma palavra e ainda tirar o 6.

A meta é usar mais palavras que caem como uma luva e menos palavras que soam esquisito.

E a melhor forma de fazer isso é através do contato regular com o idioma.

Você vai melhorar o seu vocabulário muito mais se tirar 5-10 minutos por dia pra ler/ouvir/ver materiais diferentes e procurar o significado das palavras que você não conhece, do que se estudar 5 horas seguidas e depois deixar o livro/site/app de lado.

É como academia. Meia hora por dia, todo dia, você ganha um 6-pack.

10 horas por dia, você não ganha nada e ainda fica destruído.


Pronúncia

A pronúncia é como você fala determinada palavra.

Assim como o vocabulário, há dois tipos de pronúncia: da palavra isolada e da frase como um todo.

Para entender a diferença, veja o começo deste vídeo: é a mulher do Google pedindo uma pizza.

Ela sabe pronunciar muito bem cada palavra, mas a frase soa esquisito.

Resultado: demora 5 vezes mais pra fazer o pedido, porque a moça do outro lado da linha não entende direito a mulher do Google.

E essa é a chave da pronúncia: entendimento.

Na hora da prova, quanto mais força o examinador tiver que fazer pra entender o que você está falando, menor será a sua nota.

Tanto faz se você fala rápido ou devagar…

Se você tem sotaque americano, britânico, australiano…

O que você não pode fazer é deixar a sua fluência no idioma (ou a falta dela) atrapalhar o entendimento.

Para que isso não aconteça, como eu falei, foque na pronúncia da palavra e da frase toda.

Algumas dicas práticas.

Para palavras soltas, o Duolingo também ajuda, ou o Google Tradutor.

(Dica federal: depois que você digitar uma palavra no Google Tradutor, ouça a pronúncia correta algumas vezes e repita em voz alta. Mas não pare aí. Agora, faça o contrário, e fale você a palavra para o Google transcrever. Se ele transcrever a mesma palavra, sua pronúncia está legal. Se ele entender outra coisa, é bem possível que a sua pronúncia ainda pode melhorar.)

A ANAC também tem uma lista com as principais palavras pronunciadas incorretamente durante a prova.

Porém, o ideal mesmo é treinar com outra pessoa fluente.

Pronúncia é complicada de estudar sozinho porque muitas vezes a gente nem percebe que está cometendo um erro…

Mas com alguém fluente do lado, os deslizes não passam batido. O outro percebe na hora.

Então, há duas opções:

Ou você convoca um amigo fluente pra ser o seu pronunciation buddy rs…

Ou você contrata um professor.

Felizmente, hoje existem aulas a preços bastante acessíveis.

Seja no English LiveOpen English, ou com outro professor, o importante é você gostar da aula, entender o que ele fala, e pedir para ele prestar atenção na sua pronúncia.

Se ele conhece ou não a prova da ICAO, tanto faz, porque você vai conhecer a prova e saber o que precisa ser trabalhado.

Isso, somado à estratégia de estudos, é o que te dá total autonomia para escolher o que for melhor e mais eficiente, sem ficar preso a um método ou a um professor específico.

Obs.: Se você já tem um bom nível de inglês e quiser se tornar comandante master da pronúncia, a coleção de livros English Pronunciation in Use é fantástica. Está longe de ser material obrigatório, é mais para quem gosta mesmo rs.


Estrutura

A estrutura é a ordem em que você coloca as coisas dentro da frase.

Alguns exemplos:

  • [Subject] + [have/has] + [verb in past participle] -> Affirmative Present Perfect;
  • [Subject] + [did] + [not] + [verb] -> Negative Simple Past;
  • [The] + [short adjective] + [est] ou [The] + [most] + [long adjective] -> Superlative;

E quem determina essa ordem são as regras gramaticais.

Portanto…

.

.

.

Tem que estudar gramática.

Tcharam!

É isso. Não tem escapatória rs.

Você precisa saber o que é Present Perfect, Superlative, Past Continuous, Passive Voice,…

… e fazer 500.000 exercícios de cada um deles, até ficar automático.

Estou exagerando um pouco, mas é sério. Estrutura é, de longe, o critério que mais reprova no ICAO.

Pode observar. O que mais tem é gente tirando 4 em tudo e 3 em estrutura (ou 5 em tudo e 4 em estrutura):

Eu acredito que isso acontece por dois motivos:

  1. As pessoas não sabem como estudar estrutura;
  2. As pessoas não gostam de estudar estrutura.

Vamos resolver ambos agora.

Pense em estrutura como um quebra-cabeça. Peças que você precisa encaixar para formar uma imagem bonita.

A primeira vez que você monta demora dias/semanas, e é difícil encaixar algumas partes.

Porém, se você montar outras vezes, fica cada vez mais fácil…

Até chegar num ponto em que perde a graça, porque fica muito fácil.

E é aí que precisamos chegar em estrutura.

No começo, repetir exercícios de gramática é chato mesmo. Mas é a única forma de treinar o cérebro para usar a estrutura certa automaticamente, sem ter que ficar pensando.

A repetição ainda traz outro benefício.

Se você tiver a disciplina de estudar até dominar um conteúdo (como eu sugeri na estratégia), vai passar a gostar dele.

É que nem na escola: quanto maior a nossa nota, mais a gente tende a gostar da matéria.

Logo, se você aumenta a sua nota em estrutura, vai gostar mais dela. Simples assim.

Ou seja, em estrutura, a repetição é a forma de estudar e de gostar de estudar. Dois coelhos com uma “caixa d’água” só rs.

Ainda tem um outro ponto importante.

Um quebra-cabeça só é possível de montar porque a gente enxerga as peças.

Não dá pra montar de um quebra-cabeça descrevendo em voz alta. Tem que enxergar e pegar nas peças pra ver onde elas encaixam.

Gramática também é assim. Você precisa ver os verbos, artigos, pronomes,… para colocá-los no lugar certo dentro da frase.

Ou seja: gramática a gente não aprende falando.

Aprende escrevendo.

Porém… Se você aprende na escrita, quando for falar, a ordem certa sai naturalmente.

Olha que beleza.

Vamos às dicas práticas.

Para as estruturas mais básicas, o Duolingo também dá uma ajuda boa.

Mas para aprender de verdade, eu recomendo a coleção de gramáticas “English Grammar In Use“.

Procure a versão mais atualizada e correspondente ao seu nível de inglês (básico, intermediário ou avançado).

No começo, compre apenas uma e se comprometa a fazer ela inteira, até porque o investimento é mais alto.

Quando terminar, aí você vê se é necessário comprar outra ou se já tem uma base sólida das estruturas que caem na prova (veja o P.S.).

Outra coisa: cada página da gramática tem uma explicação completa sobre um tópico, e alguns exercícios.

Porém, esses exercícios não bastam para chegar no nível de domínio que a gente precisa.

Por isso, pegue o “título do tópico + exercises” e digite no Google (ex.: Reported Speech exercises). Vão aparecer vários sites.

Abra 2 ou 3 e faça os exercícios até chegar naquele ponto em que fica muito fácil, quase sem graça.

Daí, comemore o fato de você ter virado comandante master em Reported Speech rs.


Ufa!

Sei que já falamos sobre muita coisa hoje. Então, vou deixar os outros 3 critérios para amanhã.

Até porque vocabuláriopronúncia estrutura formam a base da pirâmide… E afetam diretamente a nota em compreensão, fluência interação.

Abraços!

Bagatini

P.S.: Lá no começo, eu falei que ia te dar a lista com os conteúdos de cada critério.

Em vocabulário e pronúncia, a lista não foi de todas as palavras, e sim das principais, porque elas (mais as que você aprende estudando os outros critérios) são suficientes pra conseguir o ICAO 6.

Porém… Em estrutura, de fato existe uma lista com tudo que pode cair.

Ela está no Apêndice B, Parte IV do manual da ICAO contendo as diretrizes da prova, o Doc 9835.

Pra você não ter que ficar caçando ele, eu transcrevi o conteúdo em um Google Sheets.

Fique à vontade para compartilhar, imprimir ou colocar no seu Drive e usar de checklist. 🙂

Copy link