Força de vontade x Hábito (Parte 7/7)

Este é o último e-mail do curso “Como Aplicar a Estratégia na Preparação para a Prova da ICAO e Processos Seletivos”. Se você gostar, pode ler a sequência completa aqui.

Em primeiro lugar, eu queria te dar os parabéns! 🎉

Só quem gosta muito de avião pra ter a paciência e a disciplina de chegar até aqui, em meio a um oceano de leitura rs.

Antes das dicas práticas, eu queria expandir um pouco esta ideia de ontem:

Não dá pra correr uma maratona queimando toda a energia nos primeiros 10 minutos. É preciso alocar a energia de forma estratégica. Manter o ritmo. Sem parar, e sem passar do limite. Com inteligência e sabedoria.

Isso não é tão fácil.

Quem nunca começou um projeto novo ou uma dieta super animado, cheio de energia…

… e acabou deixando tudo de lado menos de 1 mês depois?

Isso acontece quando nós tentamos levar o projeto adiante apenas na força de vontade.

E ela até ajuda… Mas não dura no longo prazo, porque é um recurso escasso. Se a gente usa pra uma coisa, falta pra outra.

Pode reparar: a saída da dieta não acontece do nada. Ela acontece quando nós já usamos a força de vontade naquele dia pra trabalhar pesado, ir na academia, se segurar pra não mandar alguém à 💩…

Aí, quando surge o bolo ou o hambúrguer… Já era.

Para não ficarmos reféns da força de vontade, um projeto novo precisa ser algo automático, que a gente faça regularmente sem ter que ficar pensando demais (ex.: devo ou não devo comer isso? É melhor fazer isso ou aquilo?).

Em outras palavras, precisamos criar um hábito, uma rotina, uma série de ações regulares e automáticas que, ao final, vão gerar o resultado esperado.

Por exemplo: uma rotina de exercícios e de cozinhar as refeições em casa vai inevitavelmente gerar um corpo mais magro e saudável.

No contexto aeronáutico, se você sabe exatamente o que cai nas provas (a estrutura por trás) e regularmente coloca a estratégia de estudos em prática para aumentar os seus conhecimentos, a aprovação e o sucesso são inevitáveis.

É o óbvio ululante. O que não é tão óbvio é como criar esse tal hábito de estudos.

Então, eu tenho uma proposta pra você.

Amanhã, vou mandar uma pequena sequência de e-mails sobre como criar e manter um hábito de estudos.

Se você não tiver interesse, sem problema. Logo no começo tem um link para cancelar o recebimento.

Além disso, nela eu falo sobre a Comunidade de Aviadores Brasileiros Imersos Nos Estudos, a C.A.B.I.N.E. (olha que coincidência as letras terem soletrado cabine!).

Ela é voltada para ajudar aviadores como nós a desenvolver o hábito de estudos, pra você não ter que fazer tudo sozinho.

E a participação é paga, porque envolve a minha dedicação integral e uma estrutura robusta de softwares por trás.

Finalmente, algumas dicas práticas sobre os processos seletivos.

No YouTube, os canais The Pro Pilot e Aviation Training Network têm uma série completa sobre diversas matérias do ATPL. Para quem gosta de aprender com vídeos, vale a pena dar uma olhada nos tópicos com mais visualizações.

Além disso, o Glenn Research Center da NASA têm uma série de artigos sobre aerodinâmica, propulsão e aerodinâmica de alta. O formato é bem antigo (até meio tosco rs), mas ajuda muito a entender assuntos complexos.

Sobre meteorologia, os canais Introduction to Atmospheric Dynamics , Holt Hanley Weather e Yale Meteorology têm explicações fantásticas, apesar de alguns vídeos irem além do que é cobrado nas provas.

E, se você quiser investir e tiver dinheiro sobrando, pode comprar os anexos e documentos da ICAO, para estudar regulamentos direto da fonte, ou os livros de ATPL da CAE ou da Jeppesen.

Infelizmente, todos são em inglês.

Eu não conheço nenhum material em português com o nível de detalhamento necessário para o ATPL (ou para o que é exigido de um piloto hoje em dia, pra ser bem sincero).

Nós merecemos um material de qualidade e profundidade em português. Já passou da hora. É outro motivo para eu ter decidido criar a C.A.B.I.N.E.

Enfim, isso fica pra amanhã. Por hora, parabéns mais uma vez pela conclusão do curso!!

Grande abraço,

Bagatini

P.S.: Ontem eu terminei falando sobre o meu plano infalível 🧅para eliminar obstáculos desncessários na nossa formação.

Depois de muitos pensamentos, reflexões e caipirinhas (brincadeira! rs), eu cheguei à conclusão de que era melhor começar pela formação teórica. Mas não vou te entediar com o raciocínio completo.

A questão é que, atualmente, estudar para uma prova ou processo seletivo pode ser uma verdadeira tortura… E isso não faz sentido.

Afinal, nós estamos falando de aviões. Estudar pode (e deve) ser extremamente divertido.

Não é que nem biologia, briófitas e pteridófitas que são coisas chatas, quer dizer, menos interessantes.

Por isso, eu decidi criar a C.A.B.I.N.E.: para eliminar completamente o primeiro obstáculo da nossa formação, a parte teórica, tornando os estudos muito mais divertidos (ao invés de chatos e entediantes).

E tem um benefício oculto: os estudos só serão divertidos para quem gosta de avião. Para quem é aviador de verdade.

Quem não gosta, não vai ter paciência e prazer em estudar nunca, como já não tem hoje.

A C.A.B.I.N.E. é uma forma de dar uma vantagem apenas a aviadores como nós, eliminando os panos pretos com o passar do tempo. 😉

Copy link