Corrida de 100 m x Maratona (Parte 6/7)

Este é o 6º e-mail do curso “Como Aplicar a Estratégia na Preparação para a Prova da ICAO e Processos Seletivos”. Se você gostar, pode ler a sequência completa aqui.

Retomando o raciocínio de ontem:

[…] eu montei uma planilha no Google Sheets com os conteúdos, mas preciso explicar como usá-la e […] mostrar qual mentalidade você precisará adotar daqui pra frente.

Eu já falei um pouco sobre essa mentalidade lá na estratégia de estudos:

[…] E decorar não ajuda nada, porque a gente decora um conteúdo e esquece o outro. No PP/PC ainda vai, porque são menos conteúdos. Mas em um processo seletivo, com 13 matérias de ATPL… Ou na prova da ICAO, com milhares de palavras […] Os truques antigos não funcionam mais.

Na verdade, as diferenças entre a mentalidade de um PP/PC e a de um ATPL/ICAO vão muito além de decorar ou não.

O problema está na maneira como a gente encara as provas.

O PP e o PC são obstáculos a serem superados uma vez só.

Passou, acabou. Você nunca mais vai precisar refazer.

Mas daí pra frente, a coisa muda. Os obstáculos se repetem.

Até o final da carreira, temos que passar por vários recheques, processos seletivos, e, mesmo tirando o ICAO 6, temos que ler e nos comunicar em inglês frequentemente.

Como isso afeta a nossa mentalidade durante os estudos?

No PP e PC, a aprovação vale pra vida inteira, então a gente faz qualquer coisa pra passar: fica sentado 12 horas estudando, sem piscar, sem comer, sem respirar… Vale tudo.

O importante é passar. O resto vem depois.

Porém, isso gera um grande desgaste. É como uma corrida de 100 metros.

A gente vai com tudo, gasta toda a energia, e chega ao final completamente exausto.

(Não sei você, mas eu sempre ficava um bom tempo sem voar nem estudar depois de uma prova ou voo de cheque, pra “comemorar” – e me recuperar.)

No entanto, quando chega no ATPL/ICAO, essa mentalidade não ajuda… e ainda atrapalha.

Primeiro, porque a paciência de ficar 12 horas na frente de um livro chato é cada vez menor.

Segundo, porque temos menos tempo disponível para estudar.

Terceiro, porque a quantidade de conteúdos só aumenta.

E quarto, porque depois de passar na prova, o trabalho continua. Não dá pra parar tudo e tirar 2 meses de férias em St. Maarten.

Em menos de um ano, vem mais recheques. Mais responsabilidades. Mais demandas.

Ou seja, a cada corrida, você corre mais devagar e termina mais cansado…

… até não conseguir chegar ao final.

Não dá certo.

As provas da ICAO e processos seletivos precisam ser encaradas como uma maratona.

Eu fiz uma analogia parecida lá na parte 1 do curso:

É como academia. Meia hora por dia, todo dia, você ganha um 6-pack. 10 horas por dia, você não ganha nada e ainda fica destruído.

Não dá pra correr uma maratona queimando toda a energia nos primeiros 10 minutos.

É preciso alocar a energia de forma estratégica. Manter o ritmo. Sem parar, e sem passar do limite. Com inteligência e sabedoria.

Essa é a verdadeira diferença entre um PP/PC e um ATPL/ICAO.

Dito isso, eis a planilha da estrutura por trás dos processos seletivos.

Pense nela como um projeto de vida, uma lista de conteúdos pra você dominar ao longo da carreira.

“Ah, mas eu não tenho toda a carreira pra passar num processo seletivo! Preciso voar o quanto antes!”

Eu sei.

É aqui que entra a estratégia de estudos.

Pegue a planilha e faça uma autoavaliação marcando quais conteúdos você já domina em cada matéria.

A partir disso, ela vai mostrar a cor correspondente, conforme a porcentagem que você domina (vermelha: 0-25%; amarela: 25-50%; azul: 50-75%; verde: 75-100%).

Aí, basta começar pelas vermelhas e ir melhorando.

Simples e eficiente.

Um último conselho: não fique desesperado com o que você ainda não sabe. Foque no progresso.

Todo processo seletivo é uma comparação entre candidatos.

Pode até existir uma nota mínima, mas não existe uma nota que garanta a aprovação. A nota é sempre analisada em relação aos demais candidatos.

Se você tirou 99 e os outros tiraram 100, você está fora.

Se você tirou 55 e os outros tiraram 40, está dentro.

Ou seja, a sua obrigação não é saber tudo, ou tirar pelo menos uma nota X como no PP/PC.

É demonstrar um conhecimento superior à média, que se destaque.

Para isso, o método de estudos não precisa ser infalível. Ele precisa ser eficiente. Gerar mais resultado com menos tempo e esforço, para você sair na frente.

E qual é o método de estudos mais eficiente possível?!?

Ora… É a nossa querida estratégia de estudos rs.

Amanhã, pra fechar com chave de ouro, vou dar algumas dicas práticas sobre processos seletivos e de como encarar a maratona que vem pela frente…

… para cruzar a linha de chegada com energia sobrando e dando risada.

Grande abraço!

Bagatini

P.S.: E aí, pensou sobre a pergunta de ontem?

[…] Todos os obstáculos na nossa carreira são necessários, ou seria melhor se alguns sumissem? […]

Me manda as suas conclusões!

Vou compartilhar o que eu pensei a respeito.

De fato, é importante ter alguns obstáculos na carreira e na vida de maneira geral.

Seria péssimo se qualquer um pudesse virar piloto ou se fosse a coisa mais fácil do mundo.

Porém, alguns obstáculos são completamente desnecessários.

Enfrentar a burocracia da ANAC… Ter aulas sobre conteúdos de 1980 (e se virar sozinho pra aprender os realmente úteis)… Ficar meses aguardando o voo de cheque porque o avião não sai da manutenção… E por aí vai.

Não seria muito melhor economizar essa energia e investi-la para superar outros obstáculos?

Aprender a pousar um Aeroboero com vento cruzado e pista curta… Dominar os sistemas de um avião… Sair do simulador pingando de suor depois de umas 10 panes diferentes ao mesmo tempo…

Esse é o ponto aonde podemos chegar, juntos.

E eu tenho um plano infalível. 🧅

P.P.S.: Se você não pegou a referência, o emoji de cebola é uma homenagem ao Cebolinha e seus planos infalíveis pra pegar o coelhinho da Mônica rs.

Copy link