Como ser o 1° colocado na seleção da GOL/LATAM/Azul/… sem decorar nada

O que um acidente aeronáutico tem a ver com provas e processos seletivos?

Em geral, pouca coisa.

Porém, no Qantas 32, a situação enfrentada pelos pilotos foi igual ao que a gente encontra durante os estudos.

Os 35 alertas soando na cabine eram como as matérias gritando na nossa cabeça.

Sequência de alertas iniciais no voo Qantas 32. Fonte: Relatório Final do acidente.

Todos exigindo atenção ao mesmo tempo, e você não pode ignorar nenhum.

Como você vai ver, lidar com essa sobrecarga de informações foi a tarefa mais difícil para a tripulação do Qantas 32…

E também é a maior dificuldade de um processo seletivo.

Pensa comigo: as questões das provas não envolvem um raciocínio complexo que leva mais de 1 hora pra chegar na resposta.

Isso sim é uma questão complexa. Retirada do vestibular do ITA de 2020.

São perguntas diretas.

Ou você sabe, ou você não sabe.

E não é tão difícil de aprender.

O que é realmente difícil é ter todos os conteúdos de cabeça. Lidar com um volume imenso de informações sem esquecer nenhum detalhe.

E decorar não ajuda nada, porque a gente decora um conteúdo e esquece o outro.

Quer dizer, no PP e PC ainda vai, porque são menos conteúdos.

Mas em um processo seletivo, com 14 matérias de ATPL gritando na nossa cabeça… Os truques antigos não funcionam mais.

Fora as apostilas, manuais, resumos, aplicativos…

Para garantir a aprovação, nós precisamos de uma nova estratégia.

Uma estratégia que nos ensine a navegar por uma tempestade de informações sem cair no meio do caminho.

E é exatamente isso que nós vamos aprender com a tripulação do Qantas 32.

A estratégia que eles usaram para lidar com sobrecarga pode ser usada em qualquer contexto, inclusive em um processo seletivo.

Então, a partir do que eles fizeram, vamos estudar o raciocínio que estava por trás e aprender a aplicá-lo em qualquer prova, para passar 100% das vezes, com a máxima eficiência, o mínimo stress, e sem ter que decorar nada.

Aí sim.

Foto do Qantas 32 após o pouso, com os bombeiros tentando apagar o motor 1. Fonte: news.com.au.

⚠ Mas antes, dois avisos ⚠

1º- Para funcionar todas as vezes, a estratégia não pode ser baseada em coisas passageiras, como as questões que caíram na última prova ou se o examinador era o cmte. Fulano ou Ciclano.

Logo, você não vai encontrar aqui “as 10 dicas quentes para a prova tal” ou “os X maiores erros que todo piloto comete”.

Isso muda constantemente, e as dicas de hoje podem ser os conselhos furados de amanhã.

Conforme estudos científicos, vinho, tomate, chá, leite, ovo, milho, café, manteiga e carne causam câncer… E também previnem câncer. Na dúvida, substitua o ovo de galinha pelo de chocolate, pra não passar raiva. Fonte: Schoenfeld

O que eu vou mostrar são os princípios que regem o aprendizado e a retenção do conhecimento.

Princípios que não mudam conforme a época, o examinador ou a fase da Lua, e, justamente por isso, sempre funcionaram e vão continuar funcionando.

2º- Para ser eficiente, a estratégia precisa ser personalizada, porque o que funciona para você provavelmente não funciona para outra pessoa.

Por isso, não existe uma fórmula mágica do tipo “basta estudar esse livro e fazer esses exercícios que você vai virar comandante master da Emirates em 7 dias”.

Eu só consigo prometer que, ao final do processo, se você seguir a estratégia, vai estar sempre entre os primeiros colocados.

Você vai ter que trocar a expectativa de prazo e a correria pela certeza da aprovação.

Topa?

Então aperte os cintos.

Vamos voltar para o Qantas 32.

Copy link